Suicídio

“O suicídio demonstra que na vida existem males maiores do que a morte.” (Francesco Orestano)

Ela se jogou da sacada do apartamento. Oito andares em queda livre. As faixas da polícia interditaram a calçada e deram o veredicto do resultado. Fatal. Não tinha mais que 35 anos.

Essa mesma pessoa já havia tentando o ato meses atrás. Engoliu o conteúdo completo de um frasco de shampoo, mas naquele momento houve tempo e pessoas próximas ao lado que conseguiram evitar a tragédia.

Após a desintoxicação, foi dado início a um tratamento psicológico e psiquiátrico, a base de terapias e medicação. Por um breve período, a melhora do quadro parecia plausível. Um olhar breve de fora, demonstrava uma nova disposição e feições aparentemente mais felizes e contagiantes.

O que tranquilizou um pouco as pessoas a sua volta, foi que as conversas e atitudes não mais passavam aos outros qualquer tipo de problema ou busca de ajuda pela situação. Porém, essa falsa sensação de segurança foi um equívoco. Pesquisas mostravam que “de três meses a um ano depois de uma tentativa de suicídio é que se concentrava a maior chance de uma segunda tentativa. Além disso, a segunda tentativa é mais perigosa do que a primeira”. Os dados revelavam que “um em cada quatro casos de pessoas que tentavam se suicidar tentaram novamente no ano seguinte. E uma em cada dez que tentou de novo acabou conseguindo se matar.”

No enterro, caixão fechado. Obviamente, ninguém gostaria de expor ao público um corpo desfigurado devidos as circunstâncias da morte. Em meio a lágrimas, rezas e condolências, os presentes procuravam buscar respostas que justificassem aquela situação. Problemas mentais, depressão ou estresse,  foram alguns dos temas colocados à mesa. A verdade é que não importava mais.

Passaro morto ao chão

Eu acredito que foi uma escolha. Imensamente triste, claro. Mas uma vontade a ser respeitada. Viver, às vezes, é uma puta encheção de saco. A forma que o mundo funciona hoje não dá alternativa para nos tornarmos seres realizados. As pessoas estão desistindo. Somos obrigados a trabalhar em empregos que não trazem nada de útil à sociedade e só destrói o planeta que vivemos. Já temos tecnologia e conhecimentos de produção para acabar com a fome no mundo e voltar a estabelecer uma conexão decente com a natureza. Cada vez mais o povo está percebendo que o estilo de vida que a humanidade segue não faz mais sentido. Ninguém nasceu para ficar ficar 40 ou 50 anos dentro de um escritório olhando para a tela de um computador. O ser humano está insatisfeito. As taxas de depressão e suicídio são cada vez maiores. “No Brasil, entre 2011 e 2015, houve 55.645 mortes do tipo no país. São 30 suicídios registrados por dia.” Se 50 mil pessoas conseguiram se matar, não quero nem imaginar quantas foram as tentativas que não deram certo.

Enfim, se você quer se matar? Ok! Você pode resolver facilmente o seu problema. A merda é pra quem fica. Não consigo parar de imaginar a dor que o pai daquela garota está sentindo. Já havia perdido a esposa para um câncer anos atrás e agora também teve que enterrar a filha. É tristíssimo. Provavelmente, nunca vai deixar de se culpar. Nunca vai deixar de remoer as lembranças e se martirizar sobre o que poderia ter feito para evitar essa tragédia. Uma tremenda pena, pois tornou-se refém de uma escolha que não foi dele. O ato de tirar a própria vida responsabiliza indiretamente todos que têm algum tipo de relação com o suicida.

É por isso que é necessário entender que o suicídio também é um problema social! Assim, como os sem tetos, saneamento básico, animais de rua etc. O Estado que se esquiva dessa culpa, apenas permite que as mortes prossigam a aumentar. “A cada 45 minutos uma pessoa se mata no Brasil.” Tudo bem! A vida continua. Eu estou aqui, agora, escrevendo um texto sobre isso. As pessoas têm contas pra pagar. A roda precisa estar sempre girando. Todo mundo tem que voltar à sua rotina como se nada tivesse acontecido. E essa morte vai virar apenas mais um número no meio do caos de uma grande metrópole. Mais um dado estatístico para preencher pesquisas de saúde pública sem que qualquer inciativa política seja adotada para tentar mudar as coisas. Mais uma vida esquecida. Assim como muitas outras. Dia a dia. Ano a ano.

Precisamos rever nosso estilo de vida. Temos que ser mais caridosos, empáticos e lutar para que possamos viver pelo que realmente importa. Já é evidente que também caminhamos para um colapso no ecossistema. Se não mudarmos agora, a humanidade vai se extinguir e a terra vai continuar sem nós para se recuperar de todas as cagadas que nós fizemos. Os recursos estão todos ai. O ser humano só precisa perceber.

Fontes:

Imagem: Jon Bunting

10 comentários sobre “Suicídio

  1. Gostei da forma lúcida como vc tratou sem dramas científico-religiosos.
    “Eu acredito que foi uma escolha. Imensamente triste, claro. Mas uma vontade a ser respeitada.”. Adorei o texto.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Também deposito minhas esperanças nela! A chave precisa virar e torço muito pra que isso aconteça sem que seja pela consequência de uma grande tragédia. Fico feliz que tenha gostado do texto e mais ainda pela visita! Um abraço!

      Curtir

  2. Todas as vezes que abordam o tema suicídio eu só consigo pensar no quão desesperado esse alguém precisa estar para tal. Cometer suicídio vai literalmente contra todas as forças que movem o ser humano no seu âmago. É triste, mas não deixa de ser extremamente desesperador.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para T.Gacciona Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s