Amor

Hoje, li uma frase que me tocou:

eu te amo e está tudo bem, porque te amar é o que eu faço bem.

Talvez amar seja a melhor coisa que a gente faça nessa vida! É a única coisa que realmente importa! A única que fica! A única que tem um verdadeiro significado! Se é recíproco ou não, não faz diferença. Perde apenas quem não pôde ou não o quis receber. Mas quem tem amor pra dar só traz ao mundo aquilo que temos de mais significativo em nós.

Dinheiro, bens materiais, títulos, cargos etc., nada disso pode te fazer evoluir como ser humano. O que te faz melhor é o bem que você faz aos outros e a todas as espécies que habitam este planeta! 

__________
Image by: DiFe88

7 comentários sobre “Amor

  1. Olá. Boa tarde. Permita-me comentar seu texto.
    Veja que eu tenho em mente que você tem todo o direito de me trucidar.
    Mas com bons argumentos.
    Esta fala chamou-me a atenção: “e faria de tudo para estar sempre ao seu lado”.
    Eu sei como é isso:
    Quando eu pensei nisso, quando eu acreditei que poderia ser assim, há mais de 25 anos, tudo o que mais me faltava era amor-próprio.
    E sem este amor, de verdade, não conseguimos amar a ninguém da maneira como deveríamos amar. Amar não é algo que se nasce sabendo! É peciso trutoria, tutorial e tutores!
    A história de minha vida é cheia de lances de grande paixão, de tórridos romances, de promessas, juras, ameaças e vinganças e, desta forma, eu não posso tirar de ninguém a possibilidade de seguir seu caminho e provocar todos os desastres pessoais e emocionais que uma pessoa pode e “tem o direito de fazer”.
    Fui DJ, vivi na Noite Paulistana, Trabalhei no Vagão Plaza, (Divino’s Bar, a razão social. rsrs).
    É impossível estar na noite e não se envolver com as moças.
    E, de certa forma, a única possibilidade, pois do dias de balada são aqueles em que o DJ TÊM de estar lá.
    Amores e desamores não me faltaram. E as rixas também. Eu olho “para lá” e ainda descubro coisa estúpida feita por mim sistematicamente. Para colorir o comentário, em a situação da moça que “queria porque queria” ficar comigo. E eu não via nele o que eu mesmo buscava e disse não. cara, esta é uma cisa fantástica. Quase todas as mças para as quais eu disse não se erigiram como perigosas adversárias e, perdoem-me, moças… Nós, homens, também temos direito a dizer não.
    Não, não e não. Ponto! (Amy Winehouse – todos sabem as consequências desses nãos).
    Nós não conseguimos amar uma pessoa mais que a nós mesmos. Se uma pessoa não se ama, o resto, é mera ilusão!
    E foi assim, dizendo não as moças erradas e ouvindo sins das outras, que contraí HIV. Obviamente era a camisinha o que realmente faltava.
    Um flash! (Run Barry, Run…) (…)
    Sabe, as coisas estavam rolando e, chegando o momento eu olhava de um lado, e pencas, penas e pencas, PENCAS, de preservativos, olhava para o outro e via uma miríade de camisinhas. Mas minha opção era não as usar e, veja, quantas vezes eu cometi este erro pensando:
    Se pegar, pegou. D***-se!
    E assim foi feito, eu acabei por encontrar aquilo que mais buscava entre os braços de alguma mulher e, se ela sabia que tinha ou não, pouco importa.
    Eu cria que pegar era morrer e, parecia-me, que melhor tivera sido morrer. Perder duas filhas é soda limonada!
    E morrer, naqueles tempos, era o que eu mais acreditava querer.
    Acreditava… (…) …
    No frigir dos ovos era bem diferente a verdade e eu não tinha mais um só caminho tranquilo a seguir.
    Se há algo que eu posso “prescrever”, é burilamento. Embora ainda ha muito a burilar por aqui, já foi muito pior!
    Polir-se, polir-se e polir-se o bastante para ser um espelho vivo dos sentimentos que você emana. Se fizéssemos isso antes, menos dores de cabeça, e desamores
    Depois disso sim, quando nada mais houver de mágoa ou capacidade de se magoar, quando nada mais houver, capaz de fazer você odiar, quando mais nada houver, que seja capAz de fazer você se lamentar pelas perdas e danos, pois a pior parte do relacionamento é esta onde, depois de tudo, e TUDO É MUITA, MUITA, MUITA, MUITA E MUITÍSSIMA COISA…
    Mas quando nossa memória se abraça só nas perdas e danos, ha meu Deus, quantos desenganos ainda?…
    Quando nós não somos, não mais, capaz de fazer ilações, olhar para trás e contar seus mortos e feridos, aí sim, teremos aprendido a se amar e a amar!
    E, sobretudo e também, de ser amado!
    Não importa se foi por um dia ou por dez mil anos! Não é aceitável queixas sobre os ovos quebrados.
    Nós fizemos a maldita opção e, para o melhor ou para o pior, nossas escolhas foram feita ali, naquele lance e durante aquele lance, bem ali, você fechou portas e janelas de um lado, e abriu outras portas e janelas, bem como clarabóias tantas em outros pontos e lugares!…
    E veja bem! Entre as portas fechadas pode estar aquela da bala perdida que te acertaria em 25 de setembro de 2047!
    Ou abrir ainda aquela outra, do caminhão que passa por cima de você, na Via Dutra, as duas e vinte seis de la matina, fazendo de você uma pizza, ou a leve impressão bastante diáfana e vaga de ter havido uma pessoa ali….
    Em muitos momentos o seu destino está á sua frente, iluminando as ruas em neon, piscando em xenônio e, tal como eu, tal como todos, e não todas, pois as mulheres aprendem a amar diferente e mais cedo, nós não vemos.
    Assim, não seremos capazes de fazer o óbvio, viver o óbvio, sermos felizes com o óbio e as obviedades da vida porque e pois, contrução maldita a desta frase, o amor é óbvio, da maneira mais simples.
    Mais óbvia!
    Basta olhar.
    Prestar atenção e enxergar.
    Ver apenas, é para os tolos!
    Também é dos tolos não compreender que aquela coisa maravilhosa acabou!
    Acabou, acabou e acabou!
    P****! F**** e Acabou. Ponto
    E o que passou, passou!
    E o que está no porvir, está no porvir!
    Depende de nós, os homens, os seres vivos mais estúpidos deste sistema solar,depende de nós sabermos que amar é mostrar vivendo!
    E eu aprendi isso da forma mais desastrosa, dolorosa e retumbante possível.
    Perdendo! Por telefone!
    A real é que eu confundi desejo com carinho e, mesmo que ambos podem habitar o mesmo lugar no espaço, não era assim que estava acontecendo, não foi isso o tratado, acordado e combinado.
    Apoio mútuo para sair da fossa.
    Eu me permiti a amar. Transgredi as normas do contrato e isso é inaceitável em quaqluer
    relacionamento. Amoroso ou econômico, tratao é trato
    Iss foi aos meus 30 para 35 anos.
    Fragorosa, retumbante dramática e dolorosa perda.
    E eu encontrei, sim, meu amor, a minha amada, aos 38 anos. Precise de três anos de paciência.
    Estou com 56.
    E eu posso escrever na rocha sem medo de errar.
    Mara…
    Mara, amigas e amigos, conseguiu me asserenar, apaziguar-me e me amar o bastante para entender que eu precisava de tempo.
    Tempo para melhorar. Tempo para me curar de minhas dores, de meu desastrado e desastroso passado E, creio, melhorei um pouco a cada dia e ouso dizer que, a cada dia, busco melhorar um pouco mas
    Ninguém me mostrou, vivendo, mas amor que ela.
    E eu não preciso de nada ou ninguém mais além disso.
    Eu sempre busquei o melhor em minha vida e, se Mara partir antes de mim, eu não terei mesmo como encontrar alguém como ela! E, na minha vida, eu nunca fiz qualquer coisa, uma nova vez, por menos…
    Reconheço! O comentário parece mais um post.
    Se você permitir, eu trago dois links para cá.
    Obrigado por me ler.
    Há vida…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Cláudio. Agradeço por visitar meu blog e principalmente por dividir aqui as suas experiências. Acredito que nunca é tarde para entendermos e encontrar o amor. E pelo seu relato, vejo que você é mais uma prova disso.

      Acabei de ler a autobiografia do Paul Stanley, guitarrista/vocalista e fundador da banda Kiss. Ele viveu uma série de problemas durante sua infância e juventude e por mais sucesso, mulheres ou dinheiro que tivesse nunca conseguiu encontrar a paz ou felicidade. Mas assim como você, quando finalmente soube cultivar o amor próprio, conseguiu descobrir o que era o amor. Na caso dele, acho que foi lá perto dos 50 anos.

      Talvez tenhamos que travar nossas próprias batalhar para poder chegar lá.

      Um grande abraço para você!

      E não se esqueça de trazer os links que você citou no seu comentário.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s