Eu só fazia chorar

É engraçado como algumas pessoas te conquistam
E você nem percebe
Trejeitos
Assuntos em comum
Ideias que você não compartilha com mais ninguém
Mas naquele instante do universo
Aquela pessoa está ali
Para falar tudo que você já sabia
E não tinha encontrado ninguém pra compartilhar

O sotaque era maravilhoso
Lindo
Falava, falava
E era impressionante ouvir sua voz
De repente
“Eu só fazia chorar”
“Eu só fazia chorar”
Foi uma das frases mais tocantes que já ouvi na vida

Simples
Mas dizia tudo

Era a segunda vez que te via
E foi tão espontâneo como da primeira
Algumas almas são compatíveis
As nossas eram assim
No meio de milhões
Conseguimos nos conectar

Então
Realiza o que está a te acontecer
E não deixa essa chance escapar

_____________________________________
Imagem: Axel Naud

Simplesmente assim

Estava sentada com as pernas cruzadas e o braço esquerdo apoiado sobre a mesa. O garfo entre os dedos. Na mesa, um pequeno prato que continha uma porção de salada de frutas. Era linda, loira e possuía a pele clara como a neve. Apenas sua presença deixava aquela sem graça,praça de alimentação, no mínimo, muito mais interessante.

Vestia uma camiseta preta bastante feminina e uma calça jeans, comum e extremamente simples, que a tornava de alguma forma ainda mais bela. O cabelo loiro e liso estava jogado para trás por sobre os ombros e deixava seu rosto único livre para que todos pudessem apreciar.

Image by Gus

Duas pulseiras, uma em cada braço. Um anel prateado no dedo anular de sua delicada mão direita indicava que era uma mulher comprometida. Enfim, alguém no mundo tinha muito mais sorte que todos nós, já que podia dormir com alguém assim ao lado durante todas as noites.

Como se nada pudesse interrompê-la, delicadamente continuava a comer e fazia pequenos intervalos para poder nos agraciar com um inesquecível e inocente sorriso.

Image by Lorraine.

Assim que terminou, levantou cuidadosamente e andou a passos lentos para jogar seu prato fora. Voltou, sorriu e se despediu. Enquanto subia a passarela, podíamos observar a tatuagem que cintilava em sua cintura pelo pequeno espaço entre a camiseta e a calça, no qual deixava sua ardente pele à mostra. Enquanto continuava seu caminho, pude perceber que, sem expressar nenhum esforço para se destacar dentre os demais, todos paravam para observar que ela estava, mais uma vez, indo embora.